terça-feira, 16 de junho de 2015

Histórias do futebol

  Nosso blog, está sendo postado diretamente de Araxá MG.
  Estava no Bar do Mauricio e na mesa ao lado escutei a seguinte discussão. Como sempre o clubismo faz com que as pessoas deixam de falar com a razão, e só falam o que não sabe.
  O assunto era a despedida do Campeão Paulista "2 vezes", Brasileiro,  da Libertadores, Recopa e principalmente Mundial de Clubes da FIFA, Emerson Sheik pelo Corinthians. Por que fizeram com ele e não fizeram com Paolo Guerreiro, campeão do mundial da FIFA, fazendo 2 gols.
   A discussão era emblemática, e todos não sabiam o que falavam. A verdade é a seguinte: o presidente do Corinthians, através de seu diretor de futebol, mandou que convidasse os dois atletas, para de uma vez fazer as despedidas. 
   O Emerson, estava no Brasil e foi homenageado e o Paolo Guerreiro estava com a Seleção de seu país no Chile, para a disputa da Copa América. 
   Acontece que a imprensa anti corintiana, vendeu a informação que ela queria.
   Aí em pensei, será que essa imprensa de "m..." sabe o que vou escrever agora: No final do anos 60, o Santos perdeu por 6 x 2 para o Cruzeiro no Mineirão, pela disputa da antiga "Copa do Brasil". 
   Aí foi o fim de carreira de vários jogadores importantíssimos no cenário Brasileiro. Os quais são: Mauro Ramos de Oliveira (campeão mundial, pelo selecionado brasileiro e mais quinhentos títulos pelo Santos), Pepe (Sem palavras), Gilmar dos Santos Neves (Sem palavras) e Zito (sem palavras). 
   Uma das maiores injustiças já vistas no futebol, e conheço mais umas centenas. 
  O clubismo deixa o torcedor sego.

Nenhum comentário:

Postar um comentário